CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

22.1.13


Mal terminei “O Vendedor de Poesias e outros contos”, de Iveraldo Guimarães, entrei nas “Estórias Gerais”, de Jaime Hipólito Dantas.

Carlos Roberto de Miranda Gomes, escritor-veranista

Estilos de prosa com temáticas diferentes, condizentes com o meio em que viveram os seus autores.

Iveraldo explora muito bem os temas ligados ao eco-sistema, com exuberância de detalhes técnicos dos fenômenos da natureza, afinal ele é um biólogo marinho e tem vivência no assunto.

Jaime, por sua vez, foi um seridoense, com longa passagem por Mossoró e destino final na capital potiguar, com um desenho de vida no humanismo das pessoas mais simples, embora tivesse formação jurídica sólida, com passagem pelo estrangeiro.

Aliou toda a sua experiência profissional, que desaguou no jornalismo provinciano, habilidade de sua preferência, o que fez com maestria e efetiva vocação.

Os seus contos retratam estórias do cotidiano, com o gozo ou o sofrer dos personagens, sempre presentes no nordeste sofredor e dentro dos costumes submersos no cenário de sua existência.
Foram dois livros que muito acrescentaram aos meus conhecimentos da vida e preencheram bons momentos de preguiça praiana programada para este veraneio de Cotovelo, edição 2013, que já ultrapassa de sua metade, infelizmente.

Recebam os meus leitores, com estas considerações, uma indicação ou roteiro de leitura das coisas nossas, as quais serão facilmente adquiridas nos editores Sebo Vermelho, de Abimael Silva e Queima Bucha, para, igualmente como eu, abrandarem as mazelas do dia a dia e sobreviverem sem tédio.

0 comentários:

Postar um comentário

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo