CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

30.11.11


Entrevista 10 x 140 – Por Pedro Henrique (@PH_natal)

Perfil de Túlio Dantas - Natal/RN, solteiro, 24 anos, Jornalista, Empresário. Sócio-Diretor da KKI Indústria Criativa. Apaixonado por mídias sociais.

P- O que lhe levou a escolher fazer o curso de Jornalismo?
Túlio Dantas - Eu sempre quis Publicidade, mais ainda queria estudar na Universidade Federal. Como não tinha o curso, escolhi Jornalismo. Não me arrependo!

P- Como se dá sua atividade na KKI Indústria Criativa?
Túlio Dantas - Sou Diretor de Planejamento e Operações. Basicamente enquanto todos vivem o Natal, já estou pensando nas Campanhas de Dia das Mães de 2012.

P- Você tão jovem e já empresário. Fale um pouco dessa experiência.
Túlio Dantas - Foi de repente. Entrei como estagiário na KKI há 6 anos e hoje sou sócio. Claro, tudo isso fruto de muito trabalho e dedicação à agência.

P- Em Natal há incentivos para a inserção de jovens no mercado de trabalho?
Túlio Dantas - Eu acho que essa vontade, essa gana, tem que partir da própria pessoa. Vejo muita gente querendo crescer, mas com preguiça de correr atrás.

P- Você é um apaixonado pelas mídias sociais. Como você avalia as mídias sociais dentro das empresas?
Túlio Dantas - Sou a favor do bom senso. Todos podem usar desde que ajudem também a gerar uma boa imagem da empresa na internet. Uma via de duas mãos.

P- Você consegue visualizar alguma empresa no futuro sem estar presente nas mídias sociais?
Túlio Dantas - Não consigo imaginar no presente, no futuro então?! Acho que os que não estão, são peixe fora da água e podem sofrer consequências graves. 

P- Você também é um apaixonado por cinema. Como surgiu essa sua paixão?
Túlio Dantas - Surgiu como mero espectador, logo depois tive a oportunidade de produzir conteúdo. Não sou profissional, mas quem sabe um dia? Gravando...

P- Quais as conquistas que o cinema já lhe proporcionou?
Túlio Dantas - Fiz um documentário na conclusão de curso. Ganhamos o Festival de Curtas Nordestino e o segundo lugar do FestNatal 2010. Pareceu mentira.

P- O que é o Twitter para você?
Túlio Dantas - Um micro fenômeno inexplicável. Um bando de loucos que falam só, que se escutam às vezes e que mal respondem aos outros. Tudo em 140 teclas.

P- Quando não está trabalhando o que você mais gosta de fazer?
Túlio Dantas - Gosto de praia, de sair com amigos e de cerveja gelada. Sempre vão me encontrar na fila do Cinema. Programas simples, lugares também.

*Se você quer conhecer um pouco mais o Túlio Dantas converse com ele no Twitter @TulioDantas

Por @GustavoMaia1

É devido a todo empregado urbano, rural ou doméstico, e aos trabalhadores avulsos o pagamento do 13° salário, independentemente da forma de remuneração a que fizer jus no mês. A gratificação de Natal corresponde a 1/12 da remuneração integral devida em dezembro ao empregado, por mês de serviço, também entendida como tal a fração igual a superior a 15 dias. As faltas legais ou justificadas não influem no 13° salário.

Quanto às faltas injustificadas, deve-se analisar cada mês, individualmente, para verificar se o empregado trabalhou ou não, pelo menos, 15 dias. Assim, por exemplo, o empregado com 12 meses de serviço que tenha 25 faltas num determinado mês receberá 11/12 de sua remuneração, isto é, perderá apenas o avo correspondente aquele mês, pois trabalhou menos de 15 dias. O 13° salário é pago em duas parcelas: a primeira entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano e a segunda, até 20 de dezembro.

O pagamento relativo à primeira parcela é equivalente à metade do salário mensal do mês anterior, para os empregados mensalistas, horistas (para os que se consideram 220 horas) e diaristas (considerados 30 dias) admitidos até 17 de janeiro. Se o salário for misto (fixo + comissão), na 1ª parcela se computa a metade da parte fixa sendo paga até o último dia de novembro. A segunda parcela do 13° salário deve ser paga até o dia 20 de dezembro, deduzindo-se, após os descontos dos encargos legais incidentes, o valor pago a título de 1ª parcela.

Se na sua empresa alguém faz uso do auxílio-doença previdenciário a partir do 16° dia de afastamento do empregado caracteriza suspensão do contrato de trabalho. Assim, 13° salário relativo a esse período não deverá ser pago, ou seja, a empresa pagará apenas a gratificação correspondente aos períodos de trabalho anterior ou posterior ao afastamento. Existe a incidência de três encargos sociais sobre o 13° salário FGTS, IRRF e Contribuição Previdenciária.

*Gustavo Maia - 25 anos, natalense, Contador, MBA em Gestão de Pessoas, cursando MBA Gestão de Negócios, Consultor em Franchising. Escreve às quartas-feiras.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) lançou nesta terça-feira (29) o Jurômetro, uma ferramenta online que calcula quanto o governo brasileiro pagou em juros da dívida no acumulado do ano. Além disso, o instrumento permite comparar o que o governo poderia fazer com o dinheiro em relação à educação, habitação, renda e transportes; quantas escolas ou casas populares poderiam ser construídas, quantas cestas básicas poderiam compradas ou quantos novos aeroportos inaugurados.
Portal Vermelho com agências

De acordo com o Jurômetro, o País já pagou cerca de R$ 216 bilhões em juros no acumulado de 2011, montante suficiente para construir 332 aeroportos. Toda esta dinheirama é desviada pelo governo dos investimentos em saúde, educação, infraestrutura e outras áreas para o pagamento de juros.

896 milhões de Bolsa Família

Ainda no transporte, o dinheiro poderia ser destinado à construção de 90 mil km de ferrovias e 166 km de rodovias. Caso fosse destinado à renda, daria para pagar 397 milhões de salários mínimos, ou 896 milhões de benefícios do Bolsa Família. O montante poderia arcar com os custos de 667 milhões de cestas básicas.

Na educação, o total pago daria para manter cerca de 104 milhões de crianças estudando, além de equipar 527 mil escolas e construir outras 234 mil. Já na habitação, os R$ 216 bilhões poderiam ser destinados à constução de cerca de 3 milhões de casas populares, 100 milhões de novas ligações de água e 64 milhões de ligações de esgoto.

Conscientização

A ferramenta utiliza dados oficiais do Banco Central (BC), corrigidos com base em mudanças na meta da taxa básica de juros (Selic) e do número de dias. Segundo o BC, a dívida pública líquida do País é de 37,2% do Produto Interno Bruto (PIB) acumulado em 12 meses. De acordo com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o objetivo é mostrar para a população o que ocorre quando a taxa de juros aumenta ou diminui.

"Quantos sabem o que representa 1 ponto percentual nos juros? Além disso, o objetivo é haver mais conscientização por parte da sociedade, e talvez lembrar as pessoas do BC que aqueles valores são muito elevados", afirmou Skaf. A Fiesp está construindo paineis do Jurômetro para serem colocados diante da sede da instituição, na avenida Paulista em SP, e próximo ao BC em Brasilia.

Agiotagem

A Fiesp acredita que se a Selic for mantida em 11,5% até o fim do ano serão pagos pelo governo R$ 240 bilhões em juros da dívida pública. A média de juros reais no mundo é de 0,04%, enquanto no Brasil é quase de 6%, segundo a entidade. Ou seja, pagamos juros de agiota.

O Comitê de Política Monetária (Copom) iniciou nesta terça-feira à tarde e termina hoje a última reunião de 2011. A expectativa dos analistas financeiros da iniciativa privada é de redução de 0,5%, o que reduziria a Selic a 11% ao ano. Ainda assim o Brasil continuaria pagando os mais altos juros reais do mundo.

Uma redistribuição perversa da renda

O que se dá na prática é uma escandalosa redistribuição de riquezas que o Estado recolhe de toda sociedade para um reduzido grupo de credores. A DRU (Desvinculação das Receitas da União) viabiliza o negócio que beneficia os rentistas, possibilitando o desvio de recursos que a Constituição destina à saúde e outras áreas essenciais. O chamado superávit primário, que neste ano deve ultrapassar a casa dos R$ 100 bilhões, é o realizado precisamente para garantir o pagamento dos juros.

Além de prejudicar a saúde e educação do povo, a agiotagem praticada com dinheiro público impede o Brasil de crescer a taxas mais altas, como fazem a China e Argentina, entre outros, uma vez que quase todo o superávit primário é feito à custa dos investimentos públicos, como mostra recente estudo do Ipea, e o dinheiro pago aos credores geralmente não é reciclado para atividades produtivas.

Ambos são os nomes mais usados por aqui, segundo pesquisa; bíblicos ainda são 'tops'
Fábio Grellet - O Estado de S.Paulo

Quando a funcionária pública Maria José da Silva, de 69 anos, auxiliar de serviços gerais em uma estatal, foi ao banco conferir o pagamento, surpresa: não havia recebido um tostão. Ao reclamar na empresa, descobriu que o pagamento havia sido cancelado porque, para o sistema de processamento de dados, ela havia morrido. "Tive de provar que estava viva, com exame médico e tudo", conta a mulher, hoje aposentada.

Maria das Graças da Silva levou 6 meses para provar
que dívida era de outra. Foto Fábio Motta/AE
Essa é uma das confusões de que podem ser vítimas pessoas com nomes muito comuns. Maria José da Silva é o nome completo mais usado no Brasil, segundo pesquisa feita pela proScore, empresa de gerenciamento de informações e análise de crédito, a partir de um catálogo com aproximadamente 165 milhões de Cadastros de Pessoa Física (CPFs). "Em 2010, existiam 190 milhões de CPFs no Brasil, mas nossa base de dados reúne só aqueles que estão ativos no comércio", afirma Mellissa Penteado, diretora de Marketing da proScore.

O nome mais comum no Brasil é Maria - são 13.356.965, indica a pesquisa. Em segundo lugar está José, com 7.781.515, pouco mais da metade. "Todos os nomes mais usados têm origem bíblica", destaca Mellissa. A pesquisa considerou apenas o primeiro nome, desprezando nomes compostos.

Irmãs. Além da aposentada que precisou comprovar que estava viva, outras 72.463 brasileiras chamam Maria José da Silva. A maioria (13.404) mora no Estado de São Paulo. Entre as 4.687 que moram no Rio, está outra aposentada. "Nasci com o cordão umbilical enrolado no pescoço, arriscada a morrer durante o parto. Como sobrevivi, minha mãe, que era muito católica, decidiu me chamar Maria José", conta a mulher, de 73 anos.

Ela tem mais cinco irmãs - três chamam Maria, com outros nomes compostos, e duas têm exatamente o mesmo nome: Josefa Maria da Silva. "Para não confundi-las, a gente chama uma de Zeza e outra de Zita", conta. Josefa, por sinal, é o 31.º nome mais comum no País, a maioria delas (99.545) em Pernambuco.

Por causa do nome comum, a massoterapeuta Maria José da Silva, de 50 anos, já teve problemas no médico. "Fiz um exame ginecológico e, quando fui buscar, me entregaram um de ortopedia. Reclamei que não era esse que havia feito, mas ainda insistiram que eu estava enganada."

Outras Marias também narram confusões por causa do nome. "Um dia descobri que havia um monte de dívidas em meu nome, mas era outra pessoa que tinha o mesmo nome e copiou meu CPF. Demorei seis meses para provar que aquelas contas não eram minhas", diz a assistente de operação Maria das Graças da Silva, de 54 anos. Maria Izabel Eva, de 59 anos, diz que apesar de duas irmãs também chamadas Maria, nunca teve problemas como o nome.

29.11.11


Entrevista 10 x 140 – Por Pedro Henrique (@PH_natal)

Perfil de Ana Cadengue - Recife/PE, casada, 43 anos, Jornalista. Editora do Blog anacadengue.com.br. Lançou recentemente o achoja.com.br 

P- Em que momento você resolveu vir morar em Natal?
Ana Cadengue - Fui morar em Natal aos 2 anos de idade por conta do trabalho do meu pai. Hoje moro em Mossoró, mas sinto muitas saudades de Natal.

P- O que lhe levou a escolher fazer o curso de Jornalismo?
Ana Cadengue - DNA! Pais jornalistas. Fui criada no meio e me apaixonei por essa arte de usar a palavra em função do interesse público.

P- Onde você fez o curso? Recomenda aos seus amigos?
Ana Cadengue - Fiz uma parte na UFRN e outra na UnB, em Brasília. Sou totalmente a favor do diploma. O curso abre a cabeça, expande seu universo.

P- O que é necessário para ser um jornalista de destaque na sua cidade?
Ana Cadengue - Gostar de aparecer? (risos) Não. Para mim, é fazer um trabalho sério. Jornalismo é dedicação, entrega e um grande desafio. Sempre.

P- Se não fosse Jornalista, qual que outra profissão você exerceria? Por que?
Ana Cadengue - Viixe. Nunca pensei em ser outra coisa que não jornalista. Mas, vamos lá: professora ou cozinheira ou artesã ou...

P- Quando surgiu a ideia do blog anacadengue.com.br?
Ana Cadengue - Sempre sonhei com um veículo para escrever/publicar o que eu quisesse. Quando deixei a chefia do O Mossoroense, achei que era o momento.

P- Fale um pouco do site/guia Acho Já, lançado recentemente.
Ana Cadengue - Um projeto maravilhoso que vai facilitar a vida de quem anda por Mossoró: um guia de produtos e serviços. Tudo num só lugar.

P- Quais os seus maiores sonhos - pessoal e profissional?
Ana Cadengue - Criar meu filho. Vê-lo bem. Continuar a ser feliz e desenvolver cada vez mais e melhor meus projetos de trabalho.

P- O que é o Twitter para você?
Ana Cadengue - Uma ferramenta poderosa, tanto profissional quanto em qualquer área que você deseje usá-la. Mas, é preciso saber usá-la.

P- Quando não está trabalhando o que você mais gosta de fazer?
Ana Cadengue - Essa é fácil: curtir o filhote, meu amado, família, os amigos, ler, dormir, cozinhar, tomar uma cerveja gelada e banho de mar.

*Se você quer conhecer um pouco mais a Ana Cadengue converse com ela no Twitter @AnaCadengue

Cresceu a publicidade online e o número de visitantes de sites de venda de calçados
Fonte: Ibope

As categorias com maior aumento percentual em relação ao mês anterior no número de usuários únicos foram Governo e Entidades sem Fins Lucrativos, com crescimento de 6,4%, Informações Corporativas, com aumento de 5,4%, Finanças, Seguros e Investimentos, que também cresceu 5,4%, e Comércio Eletrônico, que aumentou 4,6%. Entre os sites do governo, cresceu em outubro principalmente a procura por informações sobre o Enem e sobre tributos.

Os sites de comércio eletrônico chegaram a 32,3 milhões de usuários únicos. O maior aumento ocorreu nas lojas de varejo, que atingiram 27,5 milhões de pessoas, ou 58,8% do total de usuários ativos do mês. Sites de lojas de calçados, roupas e outros acessórios de moda estiveram entre os principais responsáveis pelo aumento da navegação no comércio eletrônico em outubro. Em setembro, 8,2 milhões de pessoas navegaram nas dez maiores lojas online de calçados. Em outubro, esse número subiu para 10,5 milhões.


O ajuste fiscal promovido pelos ministérios que sofreram os maiores cortes no orçamento no começo do ano se deu fundamentalmente sobre os investimentos, e não sobre os gastos de custeio, a julgar pelo estudo do economista Mansueto Almeida, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Portal Vermelho com Valor Econômico

De janeiro a outubro, houve queda forte do investimento nos ministérios das Cidades, do Turismo e da Integração Nacional, além de um recuo pequeno no dos Transportes, em parte associado às denúncias que resultaram na demissão do ex-ministro Alfredo Nascimento.

Minha Casa, Minha Vida

Nas despesas de custeio, os maiores aumentos de gastos ocorreram nas pastas de Cidades, Defesa, Educação e Transporte. No caso da primeira, porém, a forte alta, que beira os 200%, ocorre por causa de despesas relacionadas ao programa Minha Casa Minha Vida, classificados como gasto de custeio, mas com características de investimento.

Ao anunciar o plano de ajuste fiscal em fevereiro, o governo reiterou que preservaria os investimentos, o que na prática não ocorreu, diz Almeida, especialista em contas públicas. Naquele momento, a equipe econômica definiu um corte de R$ 23,2 bilhões nas despesas discricionárias - aquelas sobre as quais o governo tem controle efetivo - no orçamento dos ministérios das Cidades, Defesa, Educação, Turismo, Transportes e Integração Nacional.

Agência Brasil
Às vésperas do Dia Mundial de Luta contra a Aids (1º de dezembro), o Ministério da Saúde divulga o Boletim Epidemiológico 2011 assinalando que, entre 1980 e junho de 2011, 608.230 pessoas foram infectadas com o vírus da aids no Brasil. Menos de 1% da população de 15 a 49 anos tem aids – a taxa de prevalência é 0,61% e manteve-se relativamente estável entre 2009 e 2010. A prevalência na população masculina é 0,82% e entre as mulheres 0,41%.

O maior número de casos de aids está concentrado na Região Sudeste – a mais populosa – onde o Ministério da Saúde registra 343.095 casos – 56,4% dos casos já contabilizados do país.

Em 2009, foram diagnosticados 35.979 casos. Em 2010, esse número caiu para 34.212. O número de óbitos passou de 12.097 para 11.965, na mesma comparação.

Em 2010, a Região Sul apresentou a maior taxa de incidência, isto é, 28,8 casos para cada 100 mil habitantes.

No mesmo ano, as maiores taxas de incidência foram encontradas na faixa etária de 35 a 39 anos, sendo que os homens têm 49,4 casos em 100 mil habitantes e as mulheres 27,4.

Segundo o Ministério da Saúde, o coeficiente de mortalidade, devido ao HIV/aids, foi 6,3 óbitos por 100 mil habitantes, em 2010. O maior índice foi registrado na Região Sul (9 mortes por 100 mil habitantes).

28.11.11


Fonte: TJ/RN
A juíza da 6ª Vara Criminal, Emanuella Cristina Pereira Fernandes, acatou o pedido do Ministério Público para prorrogar a prisão temporária de 12 pessoas investigadas na Operação Sinal Fechado. O ex-deputado João Faustino, José Gilmar de Carvalho Lopes, Carlos Alberto Zafred Marcelino, Carlos Theodorico de Carvalho Bezerra, Edson Cézar Cavalcanti Silva, Marco Aurélio Doninelli Fernandes, Caio Biagio Zuliani, Fabiano Lindemberg Santos Romeiro, Marcus Vinícius Saldanha Procópio, Nilton José de Meira e Flávio Ganem Rillo permanecerão presos.

Os investigados deverão permanecer por mais cinco dias sob custódia, quando termina o novo prazo da prisão.

O Ministério Público argumentou em seu pedido que os documentos apreendidos não puderam ser analisados por estarem sendo reunidos e separados e ainda pelo fato de nem todos os investigados terem sido interrogados. O MP requereu e a magistrada também acatou - a conversão da prisão temporária em preventiva de Carlos Alberto Zafred Marcelino para garantir a aplicação da lei penal, visto que encontra-se em lugar incerto e não sabido.

Em sua decisão, a magistrada reafirmou os argumentos usados no pedido da revogação, indeferido na última sexta-feira (25).“O pedido de prisão temporária foi determinado não apenas para dar efetividade as buscas e apreensões, mas para, também, resguardar toda a investigação criminal que envolve outros elementos de prova que não apenas a busca e apreensão”, disse Emanuella Cristina Pereira Fernandes.

A juíza também justificou que a quantidade de documentos apreendidos exige uma análise minuciosa, o que demanda tempo. Além disso, o fato de que ainda estão por acontecer as oitivas dos investigados e testemunhas e possíveis acareações. “A colheita e avaliações dessas provas poderiam ser prejudicadas com a revogação da custódia provisória de qualquer dos envolvidos ou com a não prorrogação da medida”, destacou a magistrada.

Entrevista 10 x 140 – Por Pedro Henrique (@PH_natal)

Perfil de Márcio Guedes - Natal/RN, casado, 47 anos, Contador e Especialista em Auditoria e Perícia Contábil. Func. Público Estadual.

P - O que lhe levou a escolher fazer o curso de Contabilidade?
Márcio Guedes - Na época deu no teste vocacional e meu irmão mas velho já cursava aí decidi fazer. E gostei!

P - Onde fez o curso?Recomenda aos seus amigos?
Márcio Guedes - Fiz na UFRN e recomendo sim aos amigos. Nossa universidade é muito bem avaliada e organizada.

P - Se você tivesse que escolher outra universidade, qual curso escolheria e por quê?
Márcio Guedes - Talvez Psicologia, tenho facilidade de entender as pessoas e gosto de ajudar o próximo.

P - Por que você resolveu se especializar em Auditoria e Pericia Contábil?
Márcio Guedes - Exercia o cargo de Dir. Financeiro do Iprevinat  como faz parte da área em que atuava resolvi fazer a especialização pela UFRJ.

P - Como se dá sua atuação como consultor financeiro da ABIH-RN?
Márcio Guedes - Faço também a área administrativa e financeira, planejando os gastos e as ações voltadas para o turismo.

P - Fale um pouco de sua experiência de ter passado 20 anos assumindo cargos públicos no município de Natal e Governo do Estado?
Márcio Guedes - De muito aprendizado, a administração pública tem algumas dificuldades e você aprende muito ao superá-las. Servir ao povo é gratificante.

P - Como você avalia a atual gestão de Prefeita Micarla e da Governadora Rosalba?
Márcio Guedes - A Prefeitura com uma gestão sem planejamento e sem direção. O Governo no momento em dificuldade. O povo está fazendo o julgamento.

P - Quais o sonhos - pessoal e profissional?
Márcio Guedes - Criar e educar minhas filhas com minha esposa da melhor maneira possível. Trabalhar cada vez mais e melhor.

P - O que é o twitter para você?
Márcio Guedes - Meio de trocar informações e conhecer mais pessoas. Importante!

P - Quando não está trabalhando o que mais gosta de fazer?
Márcio Guedes - Ficar com a família: pais, irmãos, esposa e filhas todos juntos. Amo!

* Se você quer conhecer um pouco mais o Márcio Guedes converse com ele no Twitter @MarcioGuedesM
"Coisas da Vida" - Por Leide Franco* (@LeideFranco)

Tendo em vista a análise dos poderes animais, o homem é o único, como em tantas outras atribuições, que consegue mentir e sustentar tal mentira por algum tempo.
Por quê?
Porque ninguém consegue mentir se não usar alguma expressão verbal, ou seja, a mentira tem que sair da boca, embora se estenda aos olhos quase sempre. Por isso é imprescindível desconfiar daqueles que não conseguem dar respostas diretas e falar olhando nos olhos do outro. Os olhos são portas de entrada e saída de muitos sentimentos. Acredite!

Há mentiras e mentiras. Alguns mentem/omitem para fazer o outro feliz, para não magoar ou pra amenizar alguma situação ou simplesmente para tirar vantagem em cima do outro, pensando ser esperto. É a construção de uma imagem solúvel, que em pouco tempo se autodestrói. É impossível sustentar uma máscara que representa aquilo que você não é. Uma hora ou outra ela vai ser arrancada ou sem querer você vai deixá-la cair e ficar de cara suja no chão. É sério!

É provado que todas as formas de mentira são mentiras e faz do mentiroso um indivíduo em constante evolução na arte de enganar, capaz de chegar a um estágio no qual ninguém consegue mais duvidar se é mentira ou verdade o que ele diz, apenas acredita ou finge que acredita. Até ele mesmo passa acreditar em suas próprias mentiras.

Há alguns tipos de mentira, como a patológica (é doença e precisa ser tratada por um psiquiatra); a fisiológica é aquela que a gente fala para se mostrar uma pessoa legal, por exemplos: desejar “bom dia” quando você só está querendo ser educado e na verdade mesmo pouco está se importando se o outro vai ter ou não um bom dia; tecer elogios ao outro apenas como uma forma de interação social, como dizer: “você parece mais jovem hoje”, quando na verdade a pessoa está enrugada, passou a noite inteira insone, com olheiras enormes. Esse tipo de mentira é bom, mas não faz bem. A pessoa pode estar doente e falar a verdade seria uma forma de ajudá-la. Agora, a mentira pior de todas é aquela que vem do instinto, é coisa de índole, falta de caráter e só.

"O que faz mal não é a mentira que passa pela mente, mas a que nela mergulha e se firma." (Francis Bacon)

Mentir não é uma tarefa fácil, até ser descoberto de calças curtas, o mentiroso terá que “rebolar” para manter constante a tal mentira, inventando estórias, se redobrando para não esquecer as que já disse – isso é extremamente importante para um bom mentiroso e poucos conseguem fazer, por isso dizem que a danada tem pernas curtas. É verdade!

Importante: desconfie daquele que pede desculpa por coisa que aparentemente ele não fez. Em todo lugar que há fumaça, há fogo, ou tem alguém perdido ou em apuros pedindo socorro. Desconfie também do politicamente e moralmente certinho, que critica alguém por algo de ruim que ele faz/fez, tipo: o(a) conhecido(a) que trai o(a) parceiro(a), o(a) colega que se aproxima do outro apenas pelo que pode ganhar em troca, só pelo benefício, pelo status na sociedade... Desconfie bem! No fundo é pura inveja, na verdade ele queria ser o mesmo e fazer a mesma coisa. Pode crer!

Toda mentira leva um pouco do caráter da pessoa, é inevitável. Mentir pode ser imperdoável, dependendo do grau da inverdade. É como se fosse arrancado de você a sua pele, revelando uma superfície suja, irreconhecível. O mentiroso sabe que jamais será o mesmo depois de ser desmascarado. Ou ele cai na real, ou vai encontrar novas fórmulas pra desenvolver sua magnífica arte de fingir, de demonstrar o que ele não é e o que ele não tem, o que nunca vai ser e o que nunca vai ter.

* Leided Franco
Comunicadora com pretensões literárias; 
Um pouco de filosofia e reflexões cotidianas; 
Um muito de MPB
E quase nada do que ainda quero ser. 
Escreve todas as segundas-feiras.

Esportes/Fórmula 1 - Por Adriano Gomes* (@Adrianogomes_)

A Temporada 2011 de Formula 1 acabou neste domingo com a realização 40º Grande Brasil, e vemos consolidado o nome de mais um gênio da velocidade que chega pra fazer  história.
Sebastian Vettel, excepcional talento alemão, nascido em 1987, com 25 anos de idade  completados em julho de 2011, Vettel  já é bicampeão mundial de Formula 1, tendo se sagrado no ano passado o mais jovem Campeão desde o surgimento da categoria, o bicampeão tem como meta superar todos os recordes estabelecidos pelo seu compatriota, o heptacampeão Michael Schumacher.

Marcas consideradas até pouco tempo inalcançáveis como o assustador número de vitórias (96) e o número de campeonatos (7) do veterano piloto tedesco já são consideradas passíveis de serem superadas, e recaem sobre Sebastian  Vettel  todas as expectativas nesse sentido.

Sebastian Vettel é parte de um projeto perfeito, que une o melhor carro, graças à genialidade de Adrian Newey, maior projetista da história do automobilismo, tendo sido introdutor de praticamente todas as grandes inovações tecnológicas das principais escuderias nas últimas décadas, principalmente a suspensão ativa e direção hidráulica da Williams Renault dos anos 90 quando obteve grandes conquistas com pilotos como Nigel Mansell e Alain Prost.

Esse binômio, melhor carro (Red Bull) e melhor piloto (Sebastian Vettel), faz desse projeto um grande sucesso com promessa de grande desenvolvimento para a próxima temporada, com forte tendência da equipe suíça Red Bull Racing manter-se hegemônica na F1 deixando as tradicionalíssimas Ferrari e McLaren em segundo plano.

Ao Brasil, restaram os destaques negativos, nossos pilotos Felipe Massa, Bruno Senna e Rubens Barrichello no ano do nosso 40º GP, igualaram o ano de 1989, quando tivemos registrado nosso pior desempenho, sem nenhum pódio em toda a temporada.

Por fim um alento e uma alegria, Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, dois dos três maiores pilotos da atualidade junto com Fernando Alonso, confessaram que a grande referência de suas carreiras é o grande mito brasileiro Ayrton Senna, a quem reverenciam como grande ídolo e exemplo a ser seguido. Ponto pro Brasil.

* Adriano Gomes da Costa escreve às segundas-feiras

O juiz Roberto Scarpinato foi um dos principais magistrados da Itália no combate às organizações mafiosas. Atuou nos anos 1980 e 1990 ao lado do magistrado Giovanni Falcone, morto no ano de 1992, em atentado da máfia siciliana. Ele participou da Operação Mãos Limpas, que debilitou a máfia italiana e fez entrar em colapso um esquema de fraudes no sistema partidário do país. Também foi o responsável pela sentença dada a Giulio Andreotti, sete vezes primeiro ministro da Itália, condenado a 24 anos de prisão por cumplicidade com a máfia.
Agência Brasil

Protegido por seguranças, Roberto Scarpinato esteve em São Paulo na última semana. Em entrevista à Agência Brasil, falou sobre seu trabalho no combate ao crime organizado e sobre a “vitória” da Itália contra a máfia. Ele destacou como principal fator de sucesso contra os mafiosos, diferentemente do que ocorre no Brasil, a atuação de uma Polícia Judiciária independente, controlada pelo Judiciário, e não pelo Executivo.

“O grande sucesso da Itália é que a magistratura do Ministério Público, além da independência, tem todo o controle da atividade policial. E tem a possibilidade de investigar e de buscar as autorias e a materialidade dos crimes independentemente”, disse.
No Brasil, as atribuições de Polícia Judiciária são da competência das polícias Civil, subordinadas ao Poder Executivo dos estados, e da Federal, comandada pelo Executivo Federal.

Fatores importantes no combate ao crime organizado, de acordo com Scarpinato, foram também a criação de um corpo de magistrados e de uma polícia altamente especializados em organizações criminosas do tipo máfia, assim como a elaboração de uma legislação apropriada para enfrentar o fenômeno mafioso.
“Não se pode combater o crime organizado com as mesmas leis e as mesmas regras que valem para uma associação deliquencial simples, como quadrilhas e bandos, por exemplo. Para se combater um cancro, não se pode usar o mesmo remédio para se combater um problema estomacal comum”, comparou.

Há um artigo específico na legislação italiana para associações criminosas, de matriz mafiosa. A pena mínima é 20 anos de prisão. O regime de detenção de membros do crime organizado na Itália também é diferenciado. Segundo o magistrado, não há visitas íntimas e o contato com o mundo exterior ao presídio é reduzido. Todas as conversas entre presos e visitas, com exceção dos diálogos com os advogados, são gravadas. “Não bastava só condenar um mafioso à privação de liberdade. Um membro de uma organização mafiosa potente continuaria a enviar mensagens à sua organização de modo a continuar a comandar o crime”.

Scarpinato destacou ainda a atuação da sociedade civil no combate ao crime organizado na Itália. O magistrado exemplifica que a Associação Comercial italiana passou a excluir dos seus quadros os empresários que não denunciam a máfia, e pagam as taxas exigidas para a proteção mafiosa.

Também a opinião pública, de acordo com o juiz, teve papel fundamental para pressionar o governo italiano a não deixar sem proteção os magistrados que combatem o crime organizado. “O ministro do Interior do governo anterior, que é o ministro da Segurança Pública, preparou um ato para tirar a escolta de alguns juizes. Houve grande pressão em contrário da opinião da pública, e ele teve que mudar de posição. O povo se revoltaria e não aceitaria nunca, e faria pressões ao saber que um magistrado ficou sem escolta. Um crime como o da juíza Patrícia Acioli seria inaceitável hoje na Itália”, disse. O assassinato de autoria do crime organizado ocorreu na noite do dia 11 de agosto. A juíza foi executada a tiros em frente ao condomínio onde morava, em Niterói, Rio de Janeiro.

Artigo publicado na revista Imprensa no mês de novembro de 2011
Fonte: Ibope
A última onda do estudo TG.net aponta que do universo de 35 milhões de internautas, 79% são ativos nas redes sociais.

Com idade média de 32 anos, o perfil dos usuários abrange praticamente todas as classes sociais e idades. 

Sites de música são os mais visitados pelos usuários das redes sociais, porém as preferências se alteram conforme o segmento de idade:

Sou de uma geração treinada em ler nas entrelinhas. Vivi as longas décadas de regimes ditatoriais latino-americanos e aprendi a pesquisar as intenções nos discursos oficiais. O dr. Ulysses Guimarães me ensinou que se deve prestar atenção aos silêncios nos discursos.
Por Carlos Lessa*, em Valor Econômico

Percebo uma crescente preocupação da presidente Dilma com a China e suas pretensões geopolíticas e geoeconômicas. Na reunião do G-20, a presidente declarou sua preocupação com a ausência de compras chinesas de produtos industriais brasileiros (leia-se, nas entrelinhas, que o Brasil é exportador de alimentos e matérias-primas sem processamento: soja em grão, minério de ferro bruto, couro de vaca sem curtição etc).

Em passado relativamente recente, exportamos geradores para a grande usina do Rio Amarelo; agora, estamos importando geradores da China. Vendemos aviões da Embraer. Bobamente, aceitamos instalar uma filial na China; os chineses clonaram a fábrica da Embraer e, hoje, competem com o avião brasileiro no mercado mundial. Esta semana, a presidência declarou sua preocupação com a tendência chinesa à aquisição de grandes glebas agrícolas no Brasil. A percepção presidencial não resolve o problema das relações Brasil-China, porém já é meio caminho andado que o poder executivo nacional tenha aquelas dimensões presentes.

O enigma chinês é fácil decifrar. O Brasil cresceu, de 1930 a 1980, 7% ao ano. Depois dessas décadas, mergulhamos na mediocridade e patinamos com uma taxa média ridícula de 2,5%. A China, nas últimas décadas, vem crescendo anualmente entre 9% e 10%. Entretanto, está em situação potencialmente pior que o Brasil. Hoje, mais de 80% da população brasileira está em áreas urbanas e 50% em metropolitanas e nem chegamos aos 200 milhões de habitantes.

A China tem uma população de 1,34 bilhão, sendo que menos de 50% estão na área urbana. Como a renda média do chinês rural é um terço da do chinês urbano, é inexorável uma transferência equivalente a duas vezes a população brasileira para as cidades chinesas, nos próximos 20 anos. É fácil entender o sonho de urbanização do chinês rural. A periferia urbana das cidades chinesas já está "favelizada".

Agência Brasil
Começa hoje (28), em todo país, a Semana Nacional de Conciliação, organizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A iniciativa visa a resolver conflitos judiciais de forma mais rápida por meio de acordos entre as partes envolvidas em processos.

Até sexta-feira (2), réus e processantes participarão de audiências de conciliação convocadas pela Justiça. A maioria das ações judiciais que serão discutidas nessas sessões envolverá as empresas e as instituições mais processadas do país, entre elas, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a Caixa Econômica Federal (CEF).

A expectativa do CNJ é que o esforço concentrado sirva para encerrar com acordos cerca de 170 mil processos que tramitam atualmente na Justiça. Na semana de conciliação do ano passado, 171 mil sessões de conciliação foram bem sucedidas, das 361 mil realizadas.

Só na cidade de São Paulo, mais de 4 mil audiências devem ser realizadas até sexta-feira. A Semana Nacional de Conciliação na capital paulista ocorre no Memorial da América Latina, na região oeste da cidade. Lá, serão realizadas audiências de conciliação da Justiça Federal, Justiça Estadual e Justiça do Trabalho.

A Defensoria Pública também prestará atendimento no local. Além de participar das audiências convocadas pela Justiça, a defensoria, juntamente com o Instituto de Medicina Social e de Criminologia (Imesc), divulgará resultados de exames de paternidade durante a semana.

Caso o resultado seja positivo e o pai queira reconhecer o filho, a homologação será feita na própria Semana de Conciliação. Assim, evita-se a abertura de uma nova ação judicial.

27.11.11


Entrevista 10 x 140 – Por Pedro Henrique (@PH_natal)

Perfil de Caio Fernandes - São Sebastião da Amoreira/PR, casado, 50 anos, Corretor de Imóveis. Diretor Presidente da Imobiliária Caio Fernandes

P- Como e em que momento você veio morar em Natal?
Caio Fernandes - Em 83 ou 84, para trabalhar no Bamerindus, e fiquei apaixonado por Natal.

P- Quando decidiu ser Corretor de Imóveis?
Caio Fernandes - Em 1987, por entender o mercado muito promissor, e contribuir com crescimento da cidade.

P- O que é necessário para ser um Corretor de Imóveis de destaque?
Caio Fernandes - Ter creci, entender de mercado e pessoas, ser ético e gostar muito do que faz.

P- Quais as maiores dificuldades encontradas dentro de sua imobiliária?
Caio Fernandes - Nós não temos dificuldades, temos desafios a serem vencidos.

P- A que se deve o número desenfreado de lançamentos imobiliários em Natal?
Caio Fernandes - Empolgação exacerbada e alguns erros estratégicos de empresas de fora.

P- Você que acha que existe pesquisa de mercado consistente para tantos lançamentos assim?
Caio Fernandes - Acho que estamos no limite da curva entre necessidade e preços compatíveis (perigo)

P- Natal é considerada por muitos uma cidade que tem um dos preços do m² mais altos do Brasil. Você concorda?
Caio Fernandes - Só se considerarmos cidades com menos de um milhão de habitantes.

P- Já se sente alguma mudança nos preços dos imóveis em virtude de Natal ser sede da Copa 2014?
Caio Fernandes - Desde quando ainda não tínhamos qualquer certeza de copa por aqui.

P- O que é o Twitter para você?
Caio Fernandes - O futuro hj, super ferramenta, espelho de tudo o mais que vem por ai em tecnologia.

P- Quando não está trabalhando o que você mais gosta de fazer?
Caio Fernandes - gosto muito de visitar outros empreendimentos, organizar em paz as coisas na Caio e dirigir.

*Se você quer conhecer um pouco mais o Caio Fernandes converse com ele no Twitter @caiofernandescf

Íntegra da nota do MPRN

O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte, em razão de notas à imprensa elaboradas pela ex-Governadora do RN, Wilma Maria de Faria, e seu filho, advogado Lauro Maia, em que se faz adjetivações negativas a respeito da atuação desta Instituição e se lança um “desafio”, vem a público esclarecer o seguinte:

a)É comum que investigados, confrontados com fortes indícios e evidências de sua participação em ilícitos procurem desviar o “foco” do noticiário, por meio da desgastada estratégia de tentar acusar e desafiar o órgão investigador;

b)Quanto à acusação de má-fé por parte desta Instituição, muito provavelmente pelo fato de se ter dado publicidade a provas, indícios e evidências de que a ex-Governadora do RN, Wilma Maria de Faria, e seu filho, advogado Lauro Maia, tiveram participação na cadeia criminosa revelada na operação “Sinal Fechado”, esta deve ser prontamente repelida;

c)Não existiu qualquer razão metajurídica para tanto. Não houve “pirotecnia jurídica”, mormente diante de peças bem elaboradas, claras e tecnicamente precisas. Não existem “medos políticos inconfessáveis” por parte desta Instituição. Ao contrário, o Ministério Público tem se pautado pela investigação e acusação a quem quer que seja, como no caso presente, independentemente de sua suposta importância ou “lado” na cena política;

Aliás, todas as menções a Srª Wilma Maria de Faria e ao advogado Lauro Maia constantes nas petições advém de informações obtidas a partir de diálogos mantidos entre os investigados, que de forma expressa registram tais pessoas como beneficiárias das ações da organização criminosa, tendo o Ministério Público, como é de seu dever, levado os fatos ao Poder Judiciário, que reconheceu a procedência dos pedidos e determinou a realização das diligências necessárias à continuação da apuração dos fatos. Não há uma única afirmação feita pelo Ministério Público que não esteja baseada em elementos de evidências e provas, notadamente as próprias palavras dos demais investigados e pessoas referenciadas em interceptações judicialmente autorizadas.

d)Não é verdade que um membro do MPRN teria afirmado inexistir provas contra a ex-Governadora do RN, Wilma Maria de Faria, e seu filho, advogado Lauro Maia, na coletiva de imprensa dada na tarde do dia 24 passado. O que se afirmou foi que não havia necessidade de busca e apreensão na residência destes investigados, dado que, muito provavelmente, não seriam ali encontradas provas a esse respeito, uma vez que os fatos ocorreram em meados de 2009;

e)Ora, as petições levadas a público com autorização judicial, que continuam à disposição no “site” da Instituição (www.mp.rn.gov.br), descreveram de forma minuciosa as diversas provas acerca da participação dos investigados em comento, colhidas ao longo de nove meses de apurações, como diálogos em que se afirma, categoricamente, que George Olímpio pagou vantagem indevida (“propina”) a Lauro Maia, bem como fez promessa de pagamento de vantagem indevida a este investigado, além de comunicações telemáticas em que George Olímpio revela que participou ativamente da elaboração de projeto de lei de autoria da investigada Wilma Maria de Faria, tendo recebido a própria mensagem por ela encaminhada à Assembléia Legislativa, com o projeto de lei que resultou na sanção da Lei n.º 9.270/09, o que representou indício de que as propostas a Lauro Maia se destinavam, em verdade, à sua mãe, então gestora máxima do Executivo Estadual;

f)O interrogatório do investigado José Gilmar de Carvalho Lopes (Gilmar da Montana), tomado no dia da operação, e, portanto, após a elaboração das referidas petições corrobora a prova e evidências até então conhecidas, reforçando ainda mais o que já havia sido apurado, principalmente quando o mesmo afirma que, de fato, George Olímpio lhe confidenciou que ofereceu promessa de vantagem indevida à investigada Wilma Maria de Faria, consistente em cota de 15% (quinze por cento) da sua parcela nos futuros lucros do Consórcio INSPAR, como forma de garantir a vitória deste consórcio na licitação para a inspeção veicular no RN;

g)Diversas provas já colhidas na investigação Ministerial, portanto, dão conta da implicação e envolvimento da Ex-Governadora Wilma de Faria e seu filho Lauro Maia no aludido esquema;

h)Importante repisar, apesar de ser de conhecimento público, que o Ministério Público Estadual contesta veementemente a constitucionalidade da Lei n. 9.270/09, que trata da Inspeção Veicular no Estado do Rio Grande do Norte, tanto que representou ao Procurador-Geral da República em face de tal vício, tendo sido ajuizada no Supremo Tribunal Federal a competente Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin n° 4.551). A Adin está sob a relatoria da Ministra Carmén Lúcia, em pauta para julgamento;

i)Por fim, é de se reconhecer que é absolutamente compreensível a insatisfação e, mesmo, a revolta, expressadas por pessoas que estão sendo investigadas por fatos tão graves quanto os descortinados com a operação “Sinal Fechado”.

É, inclusive, uma reação humana natural e esperada a autodefesa diante da magnitude dos fatos. Todavia, o papel do Ministério Público sempre será regido pelo aspecto técnico, não se deixando envolver partidária e emocionalmente em qualquer caso, nem aceitando desafios pessoais.

Afinal, no Estado Democrático de Direito cada instituição deve exercer as suas atribuições, sendo as ações do Ministério Público pautadas dentro da estrita ordem constitucional, da qual jamais se afastará;

j)O Ministério Público do Rio Grande do Norte reafirma o seu total compromisso com a verdade, não havendo qualquer interesse em imputar culpa a pessoas realmente inocentes. Por outro lado, com a mesma serenidade,afirma que jamais deixará de investigar quem quer que seja, inclusive aqueles que, não se sabe por qual motivo, parecem imaginar que estão acima da lei.

Natal/RN, 26 de novembro de 2011.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

O prômio Nobel da Economia em 2001 e antigo vice-presidente do Banco Mundial, Joseph Stiglitz, afirmou na última quinta-feira (25) que as políticas de austeridade constituem uma receita para "menos crescimento e mais desemprego".
Fonte: Jornal de Negócios

Stiglitz considerou que a adoção dessas políticas "correspondem a um suicídio" econômico. "É preciso perceber que a austeridade por si só não vai resolver os problemas, porque não vai estimular o crescimento", afirmou Stiglitz num encontro com jornalistas em Corunha, na Espanha, onde proferiu a conferência "Pode o capitalismo salvar-se de si mesmo?", noticia a agência Efe.

O economista sugeriu ao novo governo espanhol que vá "além da austeridade" e que proceda a uma reestruturação das despesas e da fiscalidade como medida básica para criar emprego. Recomendou em particular uma fiscalidade progressiva e um apoio ao investimento das empresas.

"Temo que se centrem na austeridade, que é uma receita para um crescimento menor, para uma recessão e para mais desemprego. A austeridade é uma receita para o suicídio econômico", afirmou.

Para o Nobel da Economia de 2001, "a menos que Espanha não cometa nenhum erro, acerte a 100% e aplique as medidas para suavizar a política de austeridade, vai levar anos e anos" a sair da crise.

O antigo vice-presidente do Banco Mundial disse que as reformas estruturais europeias "foram desenhadas para melhorar a economia do lado da oferta e não do lado da procura", quando o problema real é a falta de procura.

Por isso, rejeitou as propostas a favor de mais flexibilidade laboral: "Se baixamos os salários, vai piorar a procura e a recessão", alertou Stiglitz, defendendo que "é necessário" que a flexibilidade seja acompanhada por "compensações do lado da segurança" para os trabalhadores.

"Em economia, há um princípio elementar a que se chama efeito multiplicador do orçamento equilibrado: se o governo sobe os impostos mas, ao mesmo tempo, gasta o dinheiro que recebe dos impostos, isto tem um efeito multiplicador sobre a economia", explicou, apresentando a sua receita para sair da crise.

Mercado imobiliário - Por @PH_natal

Bom dia leitores(as) do Calangotango!
Abaixo segue um artigo onde mostra que a juventude é um bom nicho de mercado.
Boa leitura e um bom domingão a todos.
Pedro Henrique

A Juventude que investe em imóveis.

Sempre que converso com agentes imobiliários (Corretores), tenho a curiosidade de perguntar-lhes qual o perfil dos compradores. A resposta é quase unânime: a maioria são pessoas JOVENS.
Isso é que notamos também na visita aos stands de vendas, nas imobiliárias, nas construtoras, etc.  Mas porque os jovens estão investindo em imóveis?

A resposta é bem clara: eles têm uma renda definida, estabilidade financeira, prazos maiores para financiamentos, juros menores, visão do futuro. Esses  são alguns fatores que estão contribuindo para que esses jovens adquiram o seu primeiro imóvel cada vez mais cedo, seja ele para futura moradia ou para investimento. Isso faz com ele eles se sintam independentes para investir. E estão certíssimos.

O perfil exato deles é o seguinte: têm entre 20 e 35 anos, são solteiros ou recém-casados, passaram em algum concurso público (o que gerou uma estabilidade financeira), a maioria pertence à classe média, trabalham, estudam e já têm a visão de investimento bem definida em sua mente.
Repito: estão certíssimos. Não há no mercado um investimento melhor do que o de imóveis.

Outros dados do perfil dos jovens investidores: apresentam altas taxas de escolaridade e renda, lêem bastante sobre investimento financeiro, gostam de adquirir imóveis perto de sua atual casa ou da casa dos pais; quando se trata de um primeiro investimento optam por apartamentos compactos, boa localização e com potencial de valorização. A escolha por apartamentos compactos (geralmente de dois quartos), se dá também pela facilidade de mobiliá-lo ao seu estilo, ao baixo valor da taxa de condomínio, e do registro cartorial, são práticos na hora de limpar e arrumar. Mas uma coisas eles não abrem mão: uma boa área de lazer, conforto e segurança. Outro dia vi um jovem só definir o imóvel dele em função da posição do carro na garagem. Atentem-se a isso também. Não pensem que esse fator é besteira.

A possibilidade de adquirir imóveis mais cedo tem feito jovens a saírem precocemente da casa dos pais, por isso essa nova demanda, mas os pais desses jovens dificilmente colocam empecilho quando se trata de um investimento desse porte.
Portanto, fica a dica: procurem esses jovens para que eles façam investimento imobiliário. É um nicho de mercado promissor e geralmente eles mesmos indicam outros para fazerem o mesmo investimento. Quem sabe aí, um Corretor não faça um bom número de vendas para um grupo de amigos. Já ouvi e presenciei vários exemplos nesse sentido. Mãos à obra.

O filme 'Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios' recebeu o Cólon de Ouro, prêmio máximo do 37º Festival de Cinema Ibero-Americano de Huelva (Espanha).
Fonte: EFE

Camila Pitanga
A produção, dirigida por Beto Brant e Renato Ciasca, narra a história de um triângulo amoroso que envolve Cauby, um fotógrafo que passa pela floresta amazônica, uma mulher chamada Lavínia e seu marido, o pastor Ernani, que acredita ser possível salvar o mundo.

Este é o mais recente trabalho conjunto de Brant e Ciasca, que desde 1984 colaboram em vários projetos, sempre dirigidos por Beto e produzidos por Renato, como 'Ação entre Amigos' (1998), exibido no Festival de Veneza; e 'O Invasor' (2001), escolhido Melhor Filme Latino-Americano no Festival de Sundance.

Também realizaram juntos 'Crime Delicado' (2006), vencedor de vários prêmios internacionais de cinema. A última colaboração entre os dois é uma adaptação do livro homônimo de Marçal Aquino.

Na leitura do prêmio, o presidente do júri, Fernando Delgado, destacou que o troféu foi entregue por escolha da maioria, e está justificado 'pelo olhar pessoal com que se conta esta história de amor e destruição no grande cenário do Amazonas'.

A ideia de que a superelite nos EUA é composta por criadores de empregos é ciência econômica falha.
Por Paul Krugman, na Folha de S.Paulo

"Nós somos os 99%" é um grande slogan. Define corretamente a questão como sendo classe média X elite (em oposição a classe média X pobres). E combate a noção do establishment de que a desigualdade crescente se deve aos mais bem instruídos, que se saem melhor que os menos instruídos; os grandes vencedores nesta nova Era Dourada vêm sendo algumas poucas pessoas muito ricas, e não pessoas diplomadas.

Mas o slogan dos 99% ainda diz pouco. Uma grande parcela dos ganhos do 1% mais rico na realidade se concentra em um grupo ainda menor, o 0,1% mais rico -o milésimo mais rico da população.

Segundo relatório de 2005, de 1979 até esse ano, a renda líquida, ajustada para a inflação, dos americanos na faixa de renda mediana subiu 21%. O aumento equivalente do 0,1% mais rico foi de 400%.

Então, por que os republicanos defendem cortes ainda maiores nos impostos dos muito ricos, ao mesmo tempo em que avisam sobre deficit e exigem cortes dramáticos nos programas de seguro social?

A resposta de praxe é que a superelite é feita de "criadores de empregos" -ou seja, que ela faz uma contribuição especial para a economia. Isso é ciência econômica falha.

Afinal, em uma economia de mercado idealizada, cada trabalhador ganharia o equivalente ao que contribui para a economia por optar por trabalhar -nem mais, nem menos. Isso se aplicaria igualmente a operários que recebem US$ 30 mil por ano e executivos que ganham US$ 30 milhões. Não haveria razão para considerar que as contribuições de quem ganha US$ 30 milhões merecem tratamento especial.

Alguns dos muito ricos ficam muito ricos por produzir inovações que valem muito mais para o mundo do que a receita que ganham. Mas, se olharmos para quem realmente compõe o 0,1%, é difícil deixar de concluir que, de modo geral, a superelite ganha demais pelo que faz.

Quem são os membros do 0,1%? Muito poucos são inovadores como Steve Jobs; a maioria é formada por figurões de grandes empresas e executivos do setor financeiro, profissões longe de ter relação clara entre a receita da pessoa e a contribuição econômica que ela faz.

Salários de executivos, que subiram vertiginosamente, são definidos por conselhos diretores nomeados pelas próprias pessoas cujos ganhos eles determinam. CEOs de baixo desempenho recebem salários generosos. E executivos fracassados, muitas vezes, ganham milhões quando deixam empresas.

Enquanto isso, a crise mostrou que boa parte do valor criado pelo setor financeiro moderno era uma miragem. Nas palavras recentes de um diretor do Banco da Inglaterra, os retornos altos antes da crise simplesmente refletiram os riscos adicionais -não dos próprios especuladores, mas de investidores ingênuos ou contribuintes, que levaram prejuízo quando tudo deu errado.

Como observou o diretor: "Se assumir riscos adicionasse valor, os jogadores de roleta russa fariam uma contribuição desproporcional para o bem-estar global".

Será que os 99,9% deveriam odiar o 0,1%? De maneira alguma. Mas deveriam ignorar a propaganda sobre "geradores de empregos" e exigir que a superelite pague substancialmente mais em impostos.
Carregando...

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo