CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

13.9.12


Visão de Brasil e salto em competitividade são os dois elementos necessários para que o país possa trilhar novos caminhos de desenvolvimento. “Sem essas duas coisas, não é possível tirar proveito das grandes oportunidades que o país tem”, disse à Agência Brasil o ex-ministro do Planejamento, João Paulo dos Reis Velloso, superintendente-geral do Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae).

Agência Brasil

A entidade promove  nos próximos dias 19 e 20, na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, sessão especial para debater o assunto, em complemento ao 24º Fórum Nacional,  presidido por Reis Velloso, que foi realizado em maio passado. O evento será aberto pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

Segundo Velloso, o Brasil já teve épocas de alto crescimento, mas a partir de meados dos anos 80, houve a “desconstrução desse alto crescimento”. Ele acredita que hoje  é preciso voltar a ter uma visão estratégica de Brasil, “como têm a Coreia, a China”. Sugeriu que em vez de recorrer ao velho protecionismo, o país dê  impulso à competitividade internacional, principalmente  na área industrial. "Essa é a ideia central”, reiterou. Para ele, os dois elementos permitirão que o Brasil se torne um país desenvolvido em uma geração, estimou.


Para isso, o presidente do Fórum Nacional sugeriu ações na área da competitividade, entre elas a opção pela energia elétrica e demais energias renováveis, aproveitando o fato de o Brasil ser o país mais rico  do mundo nesse setor. Ele lembrou a atenção dada  pelo governo federal à infraestrutura e logística.

De acordo com Velloso, outra área que deverá sofrer transformação é a educação. “A educação tem que ser universalizada até, pelo menos, o ensino médio. E educação de qualidade”. Observou que, para isso, o importante é ter bons professores, ter bom currículo. Ter o que se chama de código de modernidade,  quer dizer, a capacidade de raciocinar, de tomar iniciativas”, disse.

A programação da sessão especial do Fórum Nacional prevê palestra do novo presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcelo Neri,  no dia 19, sobre  o tema Brasil, País de Classe Média. No mesmo dia, à tarde, falará o presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto. Ele abordará a Estratégia de Desenvolvimento da Energia Hidroelétrica no Brasil.

No dia 20, a sessão de abertura do painel sobre o salto necessário na  área de infraestrutura e logística deverá contar com a presença dos ministros Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, e Paulo Passos, dos Transportes; além dos presidentes da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, e do BNDES.

0 comentários:

Postar um comentário

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo