CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

12.3.12

“COISAS DA VIDA”

Leide Franco* (@LeideFranco)

Eu não entendo a “neura” das pessoas com a idade que o tempo lhes deu. Quando somos crianças, o sonho da gente é crescer, quando enfim o tempo de ser gente grande chega, fazem de tudo para esconder. Revelar a idade é deixar “às caras” que está velho e isso é quase a mesma coisa de carregar um defeito trazido pelos anos.

Para as mulheres, dizer a idade é contar um segredo, como se os dias vividos e a experiência que os anos trouxeram fossem menores que o número de sua idade. Para muitos homens, perguntar a idade de uma mulher é uma ofensa. É até engraçado, eles dizem perguntando: “Desculpa a indiscrição, mas posso saber quantos anos você tem?”

Já começa a ser velho, se isso for um defeito, quem tem dificuldade em falar a sua idade. Uma vez li e não lembro quem foi o inteligentíssimo autor, que dizia que a idade não passa de um preconceito aritmético. Concordo! Vejam só, se é para trabalhar, quando você tem quinze anos, você é jovem, mas se é para trabalhar depois dos quarenta, já é velho. Quem oficializou o início e o fim da capacidade humana através dos números que são marcados na sua certidão de nascimento?

"Com vinte anos todos têm o rosto que Deus lhes deu; com quarenta, o rosto que lhes deu a vida; e com sessenta, o rosto que merecem."

Dizem que existe a terceira idade, mas eu não faço a mínima ideia em que parte da vida de um ser humano fica a primeira idade, nem tampouco a segunda também. E a meia-idade, então? Muito menos sei! Impossível se falar em meia-idade quando não temos a noção de quando é o fim da idade, o sinônimo da morte.

Só sei medir a idade pelas vivências, pela capacidade de com esse tempo que vamos carregando por entre os dias nos transformarmos em pessoas melhores e maduras. Há coisas que só o tempo ensina e é nisso que precisamos nos agarrar e esquecer de uma vez o significado dos números. É só acreditar naquela velha máxima: a idade está na cabeça de cada um. É como certa vez disse Nelson Rodrigues:

A mais tola das virtudes é a idade. Que significa ter quinze, dezessete, dezoito ou vinte anos? Há pulhas, há imbecis, há santos, há gênios de todas as idades.

Não peço desculpas, mas qual é mesmo a sua idade?

*Leide Franco - Comunicadora com pretensões literárias; 
Um pouco de filosofia e reflexões cotidianas; 
Um muito de MPB
E quase nada do que ainda quero ser.

0 comentários:

Postar um comentário

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo