CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

15.3.12


Gustavo Maia* (@GustavoMaia1)

A classe C, sozinha, seria capaz de decidir uma eleição. E não é para menos, pois ela representa quase metade da população brasileira e, no atual contexto socioeconômico, tem mais poder do que as classes A e B juntas. Chamada de classe emergente pelo economista, a classe C é representada por aqueles que têm renda domiciliar entre R$ 1,2 mil e R$ 4,8 mil. Ela é a maioria na população, uma vez que representa o equivalente a 105 milhões de pessoas. A classe média, como popularmente é mais conhecida, responde por 46,3% do total do consumo no Brasil, contra os 45% dos consumidores AB de acordo com dados da FGV.

As empresas já estão atentando para a predominância desses consumidores C e, ainda, estão se adequando a essa realidade, porém, é um processo lento. A classe C cresce mais rapidamente do que as pessoas jurídicas, o governo e os políticos perceberam, e essa ficha está caindo só agora, é onde está a maior parte do dinheiro do Brasil. Na época da crise em 2009, o segmento C cresceu mais em termos proporcionais (2,5%) do que as demais classes, chegando ao mesmo ano a 94,9 milhões de brasileiros, os quais correspondem a cerca de 50% da população. Foi constatado que a nova classe C se preocupar com a manutenção de sua renda no futuro. As estatísticas apontaram que as pessoas desse segmento estão cientes de que o trabalho e o fruto dele dependem delas mesmas.

O público da classe C costuma comprar produtos com maior valor agregado, como eletrodomésticos, eletrônicos e artigos de informática. A facilidade de pagamento é um chamariz para a classe média comprar. No segmento de compras via internet, a classe C representou 46,5% do total de e-consumidores, no primeiro semestre de 2011. Além disso, nesse mesmo período, 61% das pessoas que realizaram uma compra online pela primeira vez pertenciam à classe C. Esses dados, de fato, demonstram que a classe C é emergente.

*Gustavo Maia - 25 anos, natalense, Contador, MBA em Gestão de Pessoas, cursando MBA Gestão de Negócios, Consultor em Franchising. Escreve às quartas-feiras.

0 comentários:

Postar um comentário

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo