CALANGOTANGO não é um blog do mundo virtual. Não é uma opinião, uma personalidade ou uma pessoa. É a diversidade de idéias e mãos que se juntam para fazer cidadania com seriedade e alegria.

Sávio Ximenes Hackradt

9.3.12


Apesar da boa intenção de tentar aperfeiçoar o controle das contas de campanhas eleitorais, a resolução publicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que barra, para as eleições deste ano, candidatos com contas da campanha de 2010 rejeitadas corre o risco de acabar combatendo mais os pequenos erros de contabilidade de partidos nanicos, afirmam cientistas políticos ouvidos pelo GLOBO.

Alessandra Duarte, O Globo

A Justiça deveria, analisam, empenhar-se também na fiscalização de irregularidades graves como caixa 2.

Siglas com estruturas partidárias menores podem ser as mais atingidas pela nova resolução, aponta o cientista político Fabio Wanderley Reis, professor emérito da UFMG:

- Pode haver boas razões para as novas regras, mas não faz sentido ser truculento com erro menor de contador e deixar de lado falhas mais graves. Temos problemas de corrupção eleitoral que alcançam dimensões maiores, que se ramificam e são de saneamento mais difícil. São problemas ligados ao debate sobre reforma política, sobre instrumentos como financiamento público de campanha.

Para o cientista político Murilo Aragão, da consultoria Arko Advice, o fato de a resolução acabar atingindo mais os erros de siglas de menor porte não quer dizer que ela não seja válida; “esse argumento seria proteger os partidos menores”, diz. Aragão afirma, porém, que práticas como caixa 2 não seriam combatidas pela nova regra, mas, sim, por outro tipo de fiscalização da Justiça Eleitoral: 


0 comentários:

Postar um comentário

Estação Música Total

Últimas do Twitter



Receba nossas atualizações em seu email



Arquivo